Blog, Lifestyle

Tendências – o que sei e aprendo com elas

Escrito por no dia 17/10/2014

Cada dia mais me deparo observando o comportamento das pessoas, principalmente o ambiente em que vivem e se relacionam e o como isso está diretamente ligado ao mercado de tendências, onde muitas vezes nem percebemos o quanto somos influenciados pelas grandes indústrias deste ramo.

Todos os anos, temos as “fashion weeks”, sendo em Nova Iorque, Londres, Milão e Paris, e vivenciamos grandes feiras internacionais de tendências de design para o lar, como a IMM (www.imm-cologne.com – feira de tendências em mobiliário e interiores), Heimtextil ( www.heimtextil.messefrankfurt.com – especializada em têxteis para o lar), Domotex (www.domotex.de – especializada em revestimentos têxteis, carpetes e pisos), Stockholm Design Week (www.stockholmdesignweek.com – berço do design nórdico e uma superpotência europeia de design de interiores), sem contar os eventos da semana do automóvel em algumas das cidades mais importantes do mundo.

Isso apenas para se falar de algumas das principais feiras ou eventos mundiais que estão diretamente ligados com o consumo e satisfação dos nossos desejos enquanto compradores desenfreados.

tendencias

Certo dia, fui jantar na casa de uma amiga que comentou: “Djoni, eu detesto essas coisas de moda, tendências, tanto é que sigo o meu gosto e compro o que quero, sem ter influência externa”. Como estava jantando na casa dela, em apenas 5 segundos pude apontar 3 itens que a fizeram mudar de ideia.

Comentei que a blusa verde esmeralda que ela estava usando e que ela comprou no ano passado em uma loja X, foi eleita pela Pantone como a cor de 2013, que o sapato com um pequeno detalhe em fluo (neon) está em total sintonia com o que as grandes marcas vêm destacando desde a Eurocucina em Milão de 2012, reforçado pela Mini Cooper, que lançou a campanha “play the fluo” (VEJA AQUI) e que o porta retrato em cima do aparador em cor de cobre vem em total sintonia com a força dos metais rústicos (cobre, aço cortem, ouro bruto), que devem ganhar ainda mais espaço nos próximos anos. Sem contar a unha dela que estava na cor Chanel Particulière, fenômeno de vendas e forte tendência desde 2012 com um tom de marrom elegante, sóbrio e atemporal que combina tanto com a unha que ela estava usando, quanto com móveis revestidos, laca, roupas e bens duráveis, como automóveis, e que eu nem comentei.

Google it e veja uma infinidade de produtos nesta cor.

Por mais que não sejamos “antenados” ou não busquemos informações sobre tendências (seja na moda, no design de interiores, nos automóveis ou na indústria de cosméticos), o que as grandes indústrias definem e como isso é interpretado para que nós, consumidores, possamos receber uma enxurrada de produtos (desde um simples esmalte de 5 reais ou um carro de 2 milhões, de uma camiseta à decoração caríssima de um apartamento), tudo é desenvolvido, escolhido e lançado pensado no comportamento do consumidor, na interpretação das nossas necessidades e de como, até sem perceber, a blusa de 15 reais que você comprou, ou o casaco Prada, tem uma relação com a mesma palavra: Tendência.

Somente assim podemos conferir antecipadamente se há algum caminho novo ou algum conceito significativo sendo explorado internacionalmente, e que se reflete diretamente no seu esmalte, no seu tênis, na sua roupa, no seu móvel, nos objetos da sua casa, no seu carro, etc.

Sem contar, é claro, da madeira que continua sendo um material extremamente desejável e que também recebe múltiplas variações. Imitações da madeira em capa de celular, em roupas, em estampas de tapetes, da busca da natureza para o interior da nossa casa, da volta dos móveis Vintage – anos 50, 60, 70…, de como vemos na novela, e “sem querer, querendo”, no dia seguinte procuramos algo parecido do que vimos na televisão. Do clássico revisado ao moderno, do repaginado às cores mais sóbrias, dos elementos de composição às texturas, do color blocking ao silêncio.

Tudo isso também é passado na Eurocucina, a feira mais importante de qualquer ano (www.cosmit.it/en/eurocucina‎), onde certamente o que for apresentado lá, estará na sua casa num horizonte de curto a médio prazo.

E sabe o que acho incrível com tudo isso? Que não são somente as grandes indústrias que influenciam e ditam as tendências. Há um movimento reverso, que começou nos últimos tempos, com pessoas das ruas, blogs caseiros, ideias inovadoras que estão influenciando essas grandes marcas a prestarem ainda mais atenção na busca pela individualidade, onde a exclusividade e o ouvir o consumidor nunca se fez tão presente nas grandes corporações, e o que é considerado hoje como um dos grandes “segredos” do sucesso.

Qual o seu segredo? Qual sua tendência? Como você espera contribuir para a mudança ou influência no seu círculo de convivência? Já parou para pensar que somos observados o tempo todo? Seja pelas grandes indústrias, seja por nossos amigos, seja por nossos familiares…

Inspire-se e permita-se!

Abraços a todos!


SOBRE O COLUNISTA

Djoni Alexi é Executivo de Vendas para América Latina de uma importante multinacional alemã, Schattdecor. Com suas viagens e relacionamentos com grandes clientes no exterior, observa diversos comportamentos e agora traz suas observações em forma de dicas para quem investe no seu Marketing Pessoal. Perfil LinkedIn http://br.linkedin.com/in/djonialexi | djoni@djonialexi.com

Criado com Area de Membros WP