Blog, Marketing Pessoal

Sua demissão por falta de marketing pessoal

Escrito por no dia 31/01/2018

Este artigo, que traz sua demissão por falta de marketing pessoal, foi embasado porque sempre conferimos reportagens sobre casos que falam sobre “excessos” cometidos por profissionais nas empresas e em festas de confraternização, como a que vimos no começo do ano no Jornal Folha de São Paulo e recentemente da demissão de dois funcionários em um hospital porque se gravaram dançando a música “Que tiro foi esse?”. Mas o que falta ser dito sobre este assunto no mundo corporativo? Uma vez que ano após ano as matérias sobre o tema se repetem e chamam a nossa atenção.

Com a chegada de um ano novo, as pessoas se enchem de esperança e as empresas também fazem suas programações para reorganizar processos, realinhar ações, assim como demitir ou contratar novos profissionais em busca de melhores resultados para o período que se inicia.

É neste momento que o nome de alguns profissionais vão parar na “lista negra” em virtude de comportamento que adotaram nas empresas e em festas de confraternização das empresas que trabalham. Lamentavelmente, ainda se comete erros que poderiam ser evitados, afinal, este tema é sempre falando.

Roupas inadequadas e exagero no consumo de bebidas alcoólicas são erros ainda frequentes, sem falar dos excessos, tais como fantasias que fazem referência preconceituosas a temas como orientação sexual, religião, cor e preferências.

O momento é de agregar, de cuidar das pessoas, de aprender a se divertir sem se prejudicar, lembrando sempre que o ambiente de trabalho tem, e sempre terá, regras que devem ser respeitadas com o propósito de melhorar a convivência.

Por isso, reunimos aqui várias opiniões de nossos colunistas e também alunos e especialistas em Marketing Pessoal pelo Método Ponto Pessoal para que possamos pensar e analisar formas de se fazer marketing pessoal correto.

 

É festa sim, mas estamos no ambiente de trabalho!

Ainda ao mesmo episódio da multinacional:

Será que faltou o RH da empresa fazer uma Circular com as observações sobre os excessos pra evitar constrangimento? Será que faltou bom senso dos próprios profissionais para compreender, definitivamente, que mesmo em momentos de festa ou trabalhando em empresas com dress code informal, o mercado de trabalho tem “regras” a serem seguidas que estão acima da concordância individual? Ou será que uma liderança mais atenta poderia ter dado limites tal qual fazemos com crianças no jardim da infância?

Difícil compreender e principalmente julgar, mas o fato é que o profissional pode se prejudicar quando resolve dar férias ao seu lado racional e cair na festa extravasando seu entusiasmo e sua alegria.

Que façamos isso sim para brindar o ano e comemorar as conquistas, mas, definitivamente em outro lugar que não seja onde você colhe o seu pão de cada dia.

Por Liliane de Sá e Souza, aluna do Método Ponto Pessoal que vem se especializando em Marketing Pessoal ao lado da gestão dos seus negócios pelo nordeste brasileiro.

 

 

Sobreviva com dignidade aos eventos corporativos

A grande maioria das demissões nas empresas acontece devido a comportamentos inadequados por parte dos seus colaboradores. É preciso no mínimo que se tenha uma imagem e comportamento coerentes com o cargo que ocupamos e que comunique autoridade, profissionalismo e responsabilidade naquilo que fazemos.

Reputação se constrói dia após dia e é fundamental para fortalecermos nossa marca pessoal como também profissional. Ainda há um vácuo enorme em relação à comunicação empresa-funcionários. Os colaboradores devem ser informados de forma clara e precisa sobre a conduta esperada pela instituição em que trabalham e um consultor(a) de imagem profissional e corporativa está apto para fazer esse trabalho da forma mais adequada possível e com resultados bastante positivos para todos e principalmente para a instituição.

 

 

Constrangimento, dó, vergonha alheia, arrependimentos… Quem já não passou por alguns desses perrengues ou ouviu alguma história da qual jamais gostaria de ser protagonista?

Acredito que todos ainda lembram da última “festinha“ de fim de ano da firma. E se não lembram, as redes sociais fazem esse papel prontamente, não é mesmo? Corre-se o risco até de esquecerem o seu verdadeiro nome porque te batizaram com o nome de um personagem inoportuno que você resolveu encarnar durante a diversão. É preciso respeitar os valores da empresa, e não acatar as orientações é desrespeitar esses valores, que pode ter um efeito profundamente negativo para sua marca pessoal e profissional, como também para a reputação da empresa. Hoje em dia, por causa da internet, uma imagem repercute globalmente, se for a seu favor, ótimo. Agora, no caso de ser de forma negativa para o funcionário ou para a organização os efeitos podem ser devastadores.

Ir ou não ir às festinhas de fim de ano da empresa?

Deve ir sim. Participar desses momentos de confraternização é uma forma de agregar muito valor à sua marca profissional. Aproveitar a oportunidade para aumentar sua rede de contatos, conhecer pessoas de outros setores da empresa, de outras cidades e até de outros países, se for o caso, afinal, nunca se sabe quando vai precisar de uma indicação favorável à sua ascensão profissional ou até em caso de perder a sua vaga de emprego atual.

Você será observado, acredite. Os eventos corporativos acontecem e sempre acontecerão, mas a finalidade não é só diversão, é o momento oportuno para empresa observar o seu comportamento social, pois isso reflete na sua atuação no momento de atendimento ao cliente, uma viagem, almoço ou jantar de negócios.

Faça valer à pena. Cada momento é uma oportunidade. Você tem o poder de escolher se será contra ou a seu favor.

Por Neuzi Carreiro, especialista em Marketing Pessoal pelo Método Ponto Pessoal e colunista aqui na Ponto Pessoal. Confira seus artigos AQUI.

 

 

A sua imagem pessoal e profissional está em sintonia com o que você deseja transmitir na confraternização da empresa?

Após um ano de muito trabalho, chega a tão esperada festa da empresa. O momento é de confraternização e descontração com os colegas, superiores e muitas vezes com fornecedores e clientes. Mas lembre-se que apesar de ser uma festa, ainda é um ambiente corporativo e é necessário seguir as regras de etiqueta.

O cuidado precisa ser dobrado, pois você pode perder oportunidades futuras de mudança de área, cargo ou até mesmo perder o emprego e manchar a reputação da empresa. Veja o caso recente noticiado pela Folha de São Paulo que comentamos no primeiro texto.

A confraternização é uma excelente oportunidade para conhecer um pouco melhor o lado pessoal e descontraído dos colaboradores e atualizar a rede de relacionamentos, pois permite a aproximação com colegas de diferentes áreas da empresa e de outros profissionais do mercado.  Mas o ambiente festivo exige cuidados para que a comemoração não manche a sua imagem pessoal e profissional e que esteja alinhado com a identidade da empresa.

Devemos ficar atentos a alguns detalhes:

– Dress Code – nada de extravagâncias
– Exagerar na bebida e na comida pega mal
– Não seja anti-social se isolando
– Bajular os superiores
– Falar mal da empresa ou de colaboradores e clientes
– Excesso de intimidade
– Flertes
– Bom senso na hora que for dançar

 

Por Vanessa Zambom, aluna do Método Ponto Pessoal que vem se especializando em Marketing Pessoal ao lado da consultoria de imagem.

 

 

Postura Profissional

O mundo mudou, ficou mais leve e, de certa forma, mais informal. Todas essas mudanças repercutiram nas relações profissionais que hoje estão bem mais flexíveis. Muitas mudanças, importantes, mas muito perigosas, pois, os ambientes estão mais informais e tem muita gente confundindo informalidade com banalidade e, assim, gerando uma banalização das regras do bom comportamento.

“Nossa!!! Regras? Que coisa antiga!” Talvez você esteja pensando assim, mas elas são totalmente pertinentes e necessárias.

O convívio social e profissional demanda sim regras, uma empresa não pode confiar sua reputação somente no bom senso de cada funcionário. Imagine uma empresa com 50 funcionários? 50 histórias, 50 valores e posturas totalmente diferentes, seria uma bagunça só. Ainda mais nos dias de hoje onde tudo vai para as redes sociais e pode servir de prato cheio para um concorrente denegrir a imagem de uma empresa.

Nos dias atuais, cada dia mais a reputação é valorizada. A reputação de uma empresa vale ouro. Esta, por sua vez, se dá pela soma reputação de todos os seus integrantes, de toda a sua equipe. Este assunto é tão importante que recentemente foi capa da revista “Você RH”, confira abaixo um vídeo meu sobre o tema “Sua reputação vale ouro” :

Talvez você não concorde com regras, defendendo a ideia de ser totalmente você o tempo todo e não veja nada de tão grave assim, somente alguns momentos mais descontraídos que acabam por culminar em demissão.

Tudo bem e eu te respeito. Mas, convenhamos que empresas multinacionais são e sempre serão mais formais, seus valores culturais são outros, lá fora PROFISSIONALISMO É COISA SÉRIA.  Esta fantasia eu não aceitaria nem na minha empresa, vejo como impertinente e totalmente inadequado e, mais ainda, não vejo festa à fantasia como bom tema para festas empresarias. Quando uma pessoa veste uma fantasia “ela quase sempre solta suas fantasias, haja vista os nossos carnavais” e a festa era Natalina, não tinha nenhuma relação com o tema, se fosse um pré-carnaval, eu até entenderia um pouco mais, mas continuaria vendo como inadequada, já que as chances de fantasias inapropriadas são muito grandes. Se queriam criar algo diferente, poderiam ter feito um concurso de fantasia de Papai Noel e colocado de forma clara as regras do que seria bem-vindo e o que não seria. Mas, mesmo assim corre-se sérios riscos.

E aí, como eu faço? Já que não concordo e acho tudo isso careta. Busque uma empresa que tem valores muito próximos aos seus. Existem empresas de todos os tipos, culturas e valores e, com certeza, você encontrará uma que corresponde ao seu eixo de comportamento e, assim, todos serão felizes para sempre. Pois, os seus valores baterão com os da “massa” e você não terá que ficar se torturando e nem querendo “agredir a empresa” com a imposição dos seus valores.

Nunca se esqueça, depois do Google, não existe passado morto e enterrado, um “clique” em falso e você pode sim ter a sua reputação abalada seriamente ou, até mesmo, de forma irreversível.

Na dúvida, não ultrapasse.

Ainda mais que nos dias de hoje tudo vira assunto e processo. Assédio, então, é coisa séria e gera prejuízo moral e financeiro, uma situação destas abre precedentes para muita coisa. Bom senso, moderação e precaução nunca serão demais no que tange a postura profissional. Pense nisto e valorize-se, você é sua Marca mais valiosa. Analise e perceba que na verdade você é tudo que de fato você tem, tudo mais pode ser tirado de você, cuide-se! Sua Marca pessoal vale ouro.

Por Silvana Lages, especialista em Marketing Pessoal pelo Método Ponto Pessoal, palestrante e Coach.

 

 

Os cuidados com nossa gestão profissional

A postura profissional é um fator decisivo na carreira de cada indivíduo. Se ele tiver atitude e souber entender a importância de fazer o melhor trabalho e dar cada vez mais o melhor de si, sem se acomodar com o que já conquistou, terá com certeza pontos positivos perante seus superiores. Mas é importante que este sucesso profissional não seja ofuscado pela falta de conhecimento e de atenção às regras de comportamento da empresa, seja no dia a dia do escritório ou em festas e confraternizações.

Com efeito, acabamos de atravessar um período desafiador tanto para profissionais como para empresas: as confraternizações de final de ano! Sim, apesar de ser uma época de comemorações, é normalmente neste período que os “pequenos deslizes” podem custar a reputação profissional ou até mesmo o emprego do profissional.

E é por esta razão, que, além das regras de boa educação, inerente a todo e qualquer ambiente profissional, é vital que todos os membros da corporação tenham conhecimento dos códigos de conduta da empresa que trabalham, bem como da cultura organizacional vigente, para que possam ter uma visão clara e precisa do impacto que os atos praticados em uma simples festa na empresa terão na sua carreira.

Lembrando que não podemos apelar simplesmente para o “bom senso” de cada profissional, vez que cada ser humano possui uma história de vida própria e sua bagagem de vida é que irá definir o seu bom senso.

Por Ana Paola Almeida, especialista em Marketing Pessoal pelo Método Ponto Pessoal e colunista aqui na Ponto Pessoal. Confira seus artigos AQUI.

 

 

Imagem não é tudo, mas ela pode revelar muito sobre você

Quando o assunto é imagem coorporativa, estamos falando em adequação. O Dress Code corporativo foi criado para ser respeitado, e mesmo que a empresa não possua um Dress Code definido, o bom senso deve prevalecer.

Você vai à praia de terno, ou vai a um velório de biquíni ou sunga? Claro que não! Tudo gera em torno de adequação e respeito ao ambiente. As regras foram feitas para que você se adeque a um ambiente ou a uma ocasião e também para que não desvie a atenção do foco principal.

No meio corporativo existem várias regras que são ignoradas por muitos, seja por desconhecimento ou por total falta de respeito. Todos nós já presenciamos uma cena de inadequação em ambientes corporativos. Roupas inadequadas, roupas extremamente justas, acessórios ou maquiagem em excesso, roupas amarrotadas, sujas e até mesmo rasgadas dão a impressão de desleixo e consequentemente falta de cuidado profissional. Note que não falo em roupas de marcas famosas e sim na adequação, cuidado e asseio. Lembre–se que a primeira impressão é a que fica e 55% dela é visual.

Por isso, antes de se candidatar a um cargo em uma empresa procure conhecer o seu Dress Code, como funcionários e cargos de gerência se vestem, já é um bom caminho. Já se a empresa não possui Dress Code definido vale a pena pecar pelo excesso de cuidados ao se vestir para uma entrevista por exemplo, assim, quando for aprovado observe como as pessoas se vestem e sempre use o bom senso.

Isso serve para festas da empresa também, não é porque está em um ambiente informal e descontraído que você deixa de estar na empresa. Mantenha sua postura no vestuário e também em seu comportamento neste eventos.

Por Renata Tomagnini, especialista em Marketing Pessoal pelo Método Ponto Pessoal e colunista aqui na Ponto Pessoal. Confira seus artigos AQUI.

 

 

Os cuidados com nossa imagem profissional

Num ambiente corporativo e no mundo competitivo e exigente, o que vestimos é muito mais do que um cartão de visita e todos os que cultivam a sua imagem, dizem muito acerca da sua identidade e da empresa que representam, não só pela forma como se vestem, como também pela adequação ao seu ambiente de trabalho e a forma como se exprimem.

As regras de etiqueta e boas maneiras devem sempre imperar, quer no local de trabalho, quer em ambientes de descontração no dia a dia da empresa, deve imperar o bom senso nas posturas a adotar, protegendo e preservando a imagem profissional.
Deve-se ter sempre em conta o perigo das redes sociais em postar “aquele momento divertido”, que sendo descontextualizado, pode, sem dúvida, comprometer seriamente a carreira de um bom profissional pondo em causa o seu futuro.

É de bom tom evitar alguns descuidos ou excessos desadequados, que podem causar más impressões e transtornos futuros, pondo em causa a vulnerabilidade de uma boa imagem, perante colegas de trabalho, a própria empresa e demais pessoas que eventualmente possam ter acesso a essas situações desajustadas.

Por Sónia Cristina Paiva, especialista em Marketing Pessoal pelo Método Ponto Pessoal e colunista aqui na Ponto Pessoal. Confira seus artigos AQUI.

 

 

Desenvolver uma imagem positiva é muito importante no ambiente corporativo

Não basta apenas ter uma excelente qualificação ou conhecimentos específicos em sua área de atuação para ser reconhecido como um profissional competente. Desenvolver uma imagem positiva é muito importante no ambiente corporativo. O marketing pessoal é uma estratégia que está sendo muito utilizada para alinhar objetivos profissionais com a imagem percebida no mercado de trabalho. É necessário que o profissional tenha consciência de que seus comportamentos, formas de comunicação, conduta e relacionamentos influenciam muito na sua reputação no ambiente profissional.

Há profissionais que dominam o conhecimento de sua área, porém não conseguem manter um bom relacionamento com os colegas, não trabalham em equipe ou são rudes com profissionais de outras áreas da organização. Qual a imagem
profissional que você quer transmitir?

O marketing pessoal é uma estratégia essencial para profissionais que estão em busca de uma recolocação no mercado de trabalho. Na ansiedade ao buscar uma oportunidade, muitos profissionais deixam de analisar algumas questões que são extremamente importantes para esse momento e podem contribuir muito na hora de participar de processos seletivos.

Primeiramente é importante que o profissional faça uma reflexão e relembre toda sua trajetória profissional, qualificações, experiências, resultados atingidos, desafios e conquistas profissionais. Essa “revisão” irá auxiliá-lo a comunicar de forma clara e objetiva ao entrevistador sobre todas as suas competências sem esquecer de citar situações relevantes.

Em segundo lugar, é necessário desenvolver um autoconhecimento sobre suas habilidades comportamentais, personalidade e objetivos profissionais, dessa forma o profissional consegue identificar mais facilmente se possui ou não alguma habilidade exigida para o cargo em questão. Ex: Se o profissional identifica que tem um excelente poder de persuasão e
comunicação sabe que tem esse diferencial competitivo para oportunidades comerciais, por exemplo. Por último, mas não menos importante, é buscar informações antecipadamente sobre a empresa e cargo ao qual está se candidatando, assim o candidato identifica se aquela organização e função pode atender aos seus objetivos profissionais, consegue alinhar suas
experiências e competências com aquelas que estão sendo solicitadas para o cargo, além disso, também demonstra interesse pela oportunidade em questão.

Por Ana Carolina Rodrigues Pereira, aluna do Método Ponto Pessoal que vem se especializando em Marketing Pessoal ao lado do Coaching de Carreira. Confira seus artigos AQUI.

 

 

Pontualidade, uma característica que valoriza sua Marca Pessoal

A pontualidade é uma característica bastante apreciada por muitos, no entanto, principalmente no Brasil, temos dificuldade em respeitar os horários propostos.

Ninguém realmente importante e de boa educação deixa qualquer pessoa esperando por ela por vários minutos ou horas na recepção. Infelizmente durante minha jornada na área comercial, por incontáveis vezes enfrentei esta situação mesmo com horário previamente agendado, lembro que uma vez precisei esperar por mais de hora do lado de fora da empresa até ser informada pelo porteiro que não seria atendida devido a um imprevisto qualquer.

Imprevistos com certeza acontecem e caso perceba que não poderá atender no horário agendado avise com antecedência. Se não tiver tempo hábil para cancelar a reunião tire alguns minutos para dirigir-se até a recepção, desculpar-se e garantir que se ela optar em aguardar o faça em local confortável com água e café à disposição. Se houver necessidade de reagendar,
tome a iniciativa de oferecer novas possibilidades de datas e horários.

Uma empresa que preza e pauta seu marketing na eficiência e pontualidade no atendimento e na entrega de seus serviços, deve estar atenta para que os funcionários adotem o mesmo comportamento. Lembre-se que seu tempo não é mais precioso do que o dos outros.

Por Jacqueline Mizrahi Carcereri, especialista em Marketing Pessoal pelo Método Ponto Pessoal e colunista aqui na Ponto Pessoal. Confira seus artigos AQUI.

 

 

 

 Seja um especialista em Marketing Pessoal

Banner-Adriano-Tadeu-Barbosa-Teste-de-Estilo-960x280

 


SOBRE O COLUNISTA

  • Linkedin
  • Facebook

Fundador e CEO da Ponto Pessoal, primeiro portal, revista e escola digital do Brasil e Portugal especializados em Marketing Pessoal. Especialista em marketing Pessoal desde 2006, professor, palestrante internacional, carreira pautada em consultorias, aulas, supervisão de cursos e criação de conteúdos desde 2006, tendo criado e supervisionado cursos de marketing, empreendedorismo e mercado de luxo, pelo Centro Europeu e ISAE/FGV em Curitiba e Paris, capital francesa, onde se especializou em Mercado de Luxo no ISAE Brasil e ISC Paris. Hoje também é Embaixador da marca Exaixo e do Portal Topview do grupo RIC Record PR no sul do Brasil, onde apresenta seu programa semanal na TV TV.
Currículo completo em www.adrianotadeubarbosa.com | Contato: adriano@pontopessoal.com.br

Criado com Area de Membros WP