Blog, Clipping, Empregabilidade

Marketing Pessoal: Estratégia de posicionamento no mercado de trabalho

Escrito por no dia 06/11/2015

Diario de Campos - Ponta Grossa - Out 2015

No fim do mês passado (outubro/2015) o Centro Europeu estreiou uma coluna no jornal Diário dos Campos, em Ponta Grossa/PR. Eu, como supervisor do curso de Empreendedorismo no sul do país, trouxe minha opinião sobre Marketing Pessoal: Estratégia de posicionamento no mercado de trabalho.

Abaixo retrato minha entrevista na íntegra à jornalista Beatriz Souza, responsável pela matéria, e ao final destaco a matéria que foi ao ar, deixando o arquivo disponível caso você queira baixá-lo.

Desejo sucesso com muito marketing pessoal!

 

 

 

Como se posicionar no mercado de trabalho

– De maneira geral, recém-formados costumam ter dificuldade de ingressar no mercado de trabalho por conta do nível de exigência das empresas quanto à experiência. Há alguns passos que podem os auxiliar neste primeiro momento? Se sim, quais?

O ideal seria que antes mesmo do fim das aulas, os recém-formados buscassem estágios ou até mesmo trabalhos voluntários para adquirirem experiências em empresas, onde o universo é particular. Ser direcionado para atividades que é contratado não é tão simples quanto parece e não está ligado aos relacionamentos que temos em casa, com pais, irmãos e amigos, por isso a experiência é tão importante antes da contratação e tão valorizada no mercado de trabalho, além de também atender à pressa que as empresas têm ao gerar resultados, contratando pessoas que já fizeram aquilo que se propõe a fazer no novo emprego.

Como os estágios só são válidos no período das aulas e se o candidato atualmente já terminou seus estudos, o que ele deve focar para adquirir esta experiência são os trabalhos voluntários. Se ele conhece alguém que tem empresa e pode lhe “contratar” por tempo determinado para algumas atividades, é uma solução. Se não, ele pode procurar prefeituras, ONGs, grupos que mantêm atividades de trabalho e que sempre precisam de apoio na operação. Isso trará conhecimentos de relacionamento em equipe, além de desenvolver outras competências muito importantes para quem busca se recolocar. No primeiro momento não há remuneração, mas com o destaque, talvez até mesmo esta oportunidade pode virar um novo emprego.

 

 

– Em contrapartida, quem já está inserido no mercado sente os impactos da crise econômica cada vez mais evidente no país. Nesse caso, há alguma orientação específica?

Não recuar, desanimar, sentir-se acuado diante da crise. É um momento de autoconhecimento, de novas perspectivas, de novas oportunidades. As empresas estão se reinventando, cortando custos, segurando muitas informações e atividades. Para o profissional, é hora de levar soluções, pensar em novidades, ajudar a empresa a se reinventar, reinventando-se em primeiro lugar, por isso o autoconhecimento é muito importante, pois trará verdade para as decisões tomadas e segurança ao ponto de não temer hipóteses.

Um dica rápida é parar de ler assuntos da crise se isso lhe paralisa e começar a ler assuntos de impulso, motivação, boas energias. Conversar com pessoas que também estão desanimadas e só enxergam o lado escuro das situações não ajudará em nada. É hora de se unir a pessoas que querem fazer a diferença e enfrentar este momento ainda mais fortes, com nossas possibilidades.

 

– Diante dessas duas situações, qual a importância de se investir no Marketing Pessoal como ferramenta de posicionamento no mercado de trabalho?

O marketing pessoal é a comunicação do que as pessoas têm de melhor, que é o diferencial de cada um. Quando nós focamos no que temos de mais importante e identificamos que temos uma força por isso, nós não encontramos concorrência, porque somos totalmente diferentes uns dos outros. Fazer marketing pessoal é mostrar este ponto para quem quer visualizar e conhecer, porque este é o segredo de quem se vende de forma errada, com excessos, e de quem se vende de forma apropriada, sutil, verdadeira e sensível aos momentos de exposição. Afinal, nós sabemos quando temos que falar mais de nós mesmos e quando temos que somente ouvir.

Para fazer marketing pessoal devemos acima de tudo saber o que realmente queremos, pois isso nos norteará quanto ao mercado em que queremos atuar. Isso nos dará orientações sobre onde buscar mais informações apropriadas ao que queremos desenvolver. Isso fará com que possamos nos relacionar com pessoas certas e que buscam objetivos parecidos com os nossos. Fará com que possamos analisar a forma de comunicação que é usada e assim não tenhamos que cometer erros ao se expor e ainda fará com que possamos analisar o que entregamos para as pessoas que nos procuram, para que elas lembrem de nós pelo assunto que desenvolvemos.

 

Para ter acesso à matéria publicada, clique em Diário de Campos_CAPA_02_out2015

 

ponto_pessoal_imagens_site_4edicoes_assine-2


SOBRE O COLUNISTA

  • Linkedin
  • Facebook

Fundador e CEO da Ponto Pessoal, primeiro portal, revista e escola digital do Brasil e Portugal especializados em Marketing Pessoal. Especialista em marketing Pessoal desde 2006, professor, palestrante internacional, carreira pautada em consultorias, aulas, supervisão de cursos e criação de conteúdos desde 2006, tendo criado e supervisionado cursos de marketing, empreendedorismo e mercado de luxo, pelo Centro Europeu e ISAE/FGV em Curitiba e Paris, capital francesa, onde se especializou em Mercado de Luxo no ISAE Brasil e ISC Paris. Hoje também é Embaixador da marca Exaixo e do Portal Topview do grupo RIC Record PR no sul do Brasil, onde apresenta seu programa semanal na TV TV.
Currículo completo em www.adrianotadeubarbosa.com | Contato: adriano@pontopessoal.com.br

Criado com Area de Membros WP